Despedida

Relação de princesa Isabel e Leopoldina inspira peça A Despedida, que traz discussões sobre violência de gênero e misoginia.

A peça A Despedida tem direção de Iuri Saraiva, que também divide a dramaturgia com Hanna Reitsch e integra o elenco acompanhado por Nina Dutra, Juliana DavidMateus Ribeiro e Rafael Pucca.

A Despedida, espetáculo inspirado nas personagens históricas Leopoldina e sua irmã mais velha, Isabel de Bragança, a Princesa Isabel, estreia dia 1º de abril, quinta-feira, às 20 horas, com transmissão pela ferramenta Sympla Streaming vinculada ao Teatro Sérgio Cardoso, equipamento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerido pela Amigos da Arte.

Na peça A Despedida, a Cia. Meia Um traz aos palcos pautas como a limitação da mulher na sociedade, misoginia e intensa violência de gênero que, infelizmente, ainda é uma tema atual. O espetáculo acontece em um plano etéreo, livre da linearidade do tempo, da continuidade do espaço ou da dureza dos fatos. Em meio a flores, lembranças, mito e história, Isabel é guiada pelo fantasma da irmã, que morreu precocemente, a enfrentar forças institucionais que não compreende.

Despedida
A Despedida / Divulgação

A Cia. Meia Um é um grupo teatral composto por artistas de fora de São Paulo, que fizeram da cidade a sua cidade. O grupo tem como objetivo o resgate de um estudo de linguagem feito de 2009 a 2011, pelo Grupo Teatral de Pesquisa e Extensão, associado à UnB (Universidade de Brasília), em Brasília, dirigido por Hugo Rodas, diretor Uruguaio radicado em Brasília desde o final dos anos 70, onde realizou inúmeros trabalhos premiados nacional e internacionalmente.

A partir desse estudo, a Cia. Meia Um pretende realizar montagens de trabalhos autorais e colaborativos (incluindo pesquisa e criação de dramaturgia autoral), espetáculos inéditos e remontagens que incorporem a identidade de seu trabalho. Tendo em vista o desenvolvimento de um estudo de base vindo de pesquisas, além também do desenvolvimento de um repertório para os palcos, a companhia foca seus estudos não só na técnica e na linguagem desenvolvidas pelo diretor Uruguaio em Brasília – que envolvem grande trabalho físico de desenvolvimento e pesquisa corporal – mas também na pesquisa literária de teóricos, técnicos, fundamentadores e de repertório (para treinamento e acervo), que embasem de maneira mais concreta a sua pesquisa como grupo e que sustentem seu o trabalho campo artístico.

Sendo um grupo jovem, a Cia. Meia Um procura resgatar as raízes do teatro experimental para fundi-las com outras manifestações artísticas, criando, assim, sempre um produto único e sólido composto pelas mais diversas influências. Por esse motivo, o grupo tem como centro de gravidade o teatro, mas sempre flerta com o cinema, a música e as artes plásticas, em seus mais variados estilos, atraindo-os para o mais próximo possível desse centro.

FICHA TÉCNICA

Dramaturgia: Hanna Reitsch, Iuri Saraiva  

Direção: Iuri Saraiva  

Cenário e Figurino: Graziela Bastos   

Assistência de Cenário e Figurino: Bruno Gasparotto  

Direção de Movimento e Preparação Corporal: Graziela Bastos  

Design de Luz: Drika Matheus  

Preparação Vocal: Rafael Villar  

Elenco: Nina Dutra, Juliana David, Iuri Saraiva, Mateus Ribeiro, Rafael Pucca

Músicos: Gustavo de Oliveira (Violão) e Beatriz Schmidt (Percussão), Júlio Pelloso (violoncelo)  

Visagismo: Barbara Khalil  

Produção Executiva: Pilotis Produções Artísticas  

Realização: Cia. Meia Um  

Mídias Sociais:  /@ciameiaum e /@pilotisproducoes   

Apoio: Caio Gallucci Fotografia, Felipe Quintini, Camisaria Colombo

Sobre o Teatro Sérgio Cardoso
Localizado no boêmio bairro paulistano do Bixiga, o Teatro Sérgio Cardoso foi inaugurado em 13 de outubro de 1980, com uma homenagem ao ator. Na ocasião, foi encenado um espetáculo com roteiro dele próprio, intitulado “Sérgio Cardoso em Prosa e Verso”. No elenco, a ex-esposa Nydia Licia, Umberto Magnani, Emílio di Biasi e Rubens de Falco, sob a direção de Gianni Rato. A peça “Rasga Coração”, de Oduvaldo Viana Filho, protagonizada pelo ator Raul Cortez e dirigida por José Renato, cumpriu a primeira temporada do teatro. Em 2020, o TSC cumpriu 40 anos de atividades, tendo recebido temporadas importantes de todas as linguagens artísticas e em novos formatos de transmissão, se consolidando como um dos espaços cênicos mais representativos da cidade de SP.

Sobre a Amigos da Arte
A Amigos da Arte, Organização Social de Cultura responsável pela gestão do Teatro Sérgio Cardoso, trabalha em parceria com o Governo do Estado de São Paulo e iniciativa privada desde 2004. Música, literatura, dança, teatro, circo e atividades de artes integradas fazem parte da atuação da Amigos da Arte, que tem como objetivo difundir a produção cultural por meio de festivais, programas continuados e da gestão de equipamentos culturais públicos como o Museu da Diversidade Sexual o Teatro Estadual de Araras.

SERVIÇO

A Despedida

De 1º de abril a 2 de maio de 2021

Sessões de quinta a domingo, 20h

Ingressos: Colaborativo, com opção de gratuito e outros valores. Retirada através do sistema Sympla.

Duração: 50 minutos

Classificação: Livre

Ingressos: www.sympla.com.br/teatrosergiocardoso


Leia também: Disney Media & Entertainment Distribution anuncia atualizações para o cronograma de lançamentos de filmes dos próximos meses

Siga @Nerdrecomenda nas redes Sociais

Facebook | Instragram | Twitter

Deixe seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: