A Pane - Nerd Recomenda

A Pane, de Friedrich Dürrenmatt, estreia no Sesc Santana com 3 únicas apresentações e, em seguida, engata temporada no Teatro FAAP

A Pane tem direção de Malú Bazan e traz no elenco Antonio Petrin, Oswaldo Mendes, Heitor Goldflus, Roberto Ascar, Cesar Baccan e Marcelo Ullmann

Ao chamar de “A Pane” seu conto (depois transformado em teatro), Dürrenmat não estava só pensando na falha mecânica de um Jaguar, que leva o protagonista a uma situação inesperada. A Pane também diz respeito a este nosso mundo, repleto de imperfeições e catástrofes, de falhas da Justiça, de culpas e desculpas. Dürrenmat é daqueles autores que divertem e dão o que pensar.

A Pane
Fotos: Ronaldo Gutierrez

Com direção de Malú Bazán e tradução de Diego Viana, o espetáculo chegou aos palcos do Sesc Santana no dia 10 de dezembro de 2021 para três únicas apresentações. Mas, logo em 14 de janeiro de 2022, engata temporada no Teatro Faap até 20 de fevereiro. Antonio Petrin, Cesar Baccan, Heitor Goldflus, Marcelo Ullmann, Oswaldo Mendes e Roberto Ascar compõem o elenco. 

A situação é inusitada. Um jogo em que octogenários juristas aposentados encenam suas antigas ocupações e, como diz o juiz anfitrião, agora não mais presos “a formas, protocolos, leis e todo o entulho inútil dos tribunais”. Neste jogo eles enredam um próspero representante comercial. Qual o seu crime? Não importa: “crime é algo que sempre se pode encontrar”.

Ao brincar de tribunal, os personagens nos fazem questionar o conceito de justiça, o sistema de Justiça, e este nosso mundo “de inocentes com culpa e culpados sem culpa”. A encenação reúne atores de várias gerações, para falar, não de uma história antiga, mas de “uma história ainda possível”, como o autor a qualifica. 

Após uma suspensão de quase dois anos em razão da pandemia, o espetáculo volta com força total, mostrando a intensidade e alegria de fazer arte desse potente elenco de atores de terceira idade que representam a história do nosso teatro!  

Divirtam-se!

Sobre o autor

Dürrenmatt (Konolfingen, 5 de janeiro de 1921 — Neuchâtel, 14 de dezembro de 1990) foi um escritor suíço. Embora possua grande fama por sua obra como dramaturgo foi também um prolífico contista e romancista.

Politicamente ativo, o autor escreveu dramas vanguardistas, profundos romances policiais, e algumas sátiras macabras. Um de seus principais bordões era: “Uma história não está terminada até que algo tenha dado extremamente errado”.

Como Brecht, Dürrenmatt explorou as vertentes do teatro épico. Suas peças visavam envolver o público a um debate teórico, e não somente ser entretenimento puramente passivo.

Quando tinha 26 anos, sua primeira peça, “Está Escrito”, (em alemão “Es steht geschrieben”), estreou causando grande controvérsia. A história da peça se passa em torno de uma batalha entre um cínico obcecado pelo sucesso e um religioso fanático que leva as escrituras ao pé da letra, tudo isto acontecendo enquanto a cidade em que vivem está cercada. A noite de estreia da peça, em abril de 1947, causou confusão e protestos por parte do público.

Na década de 50, com o conto “A Pane”, chegou ao que muitos consideram o auge de sua capacidade estilística e narrativa.

Morreu em 1990, considerado como um dos grandes narradores e dramaturgos de sua geração.

Sinopse

“A Pane” é uma comédia sobre a justiça. Hóspede inesperado se transforma em réu de um jogo em que juiz, promotor, advogado e carrasco aposentados revivem suas profissões. Uma fábula que fala dos nossos dias. No elenco, um encontro de gerações.

Ficha Técnica

Texto: Friedrich Dürrenmatt

Tradução: Diego Viana

Direção: Malú Bazán

Elenco:

Antonio Petrin 

Cesar Baccan 

Heitor Goldflus 

Marcelo Ullmann

Oswaldo Mendes 

Roberto Ascar 

Concepção cenográfica: Anne Cerutti e Malú Bazán

Figurino: Anne Cerutti 

Assistente de figurino e cenário: Adriana Barreto

Cenotécnico: Douglas Caldas

Desenho de luz: Wagner Pinto

Música Original: Dan Maia

Operador de luz: Gabriel Greghi

Operador de som: Silney Marcondes

Contrarregra: Márcio Polli

Fotos: Ronaldo Gutierrez

Visagismo: Dhiego Durso 

Programador Visual: Rafael Oliveira

Assessoria de Imprensa: Pombo Correio

Assistente de Produção: Rebeca Oliveira

Assistente de Produção: Beatriz Nominato

Co-Produção: Kavaná Produções 

Produção e Realização: Baccan Produções

Serviço

A Pane, de Friedrich Dürrenmatt, com direção de Malú Bazán

Sesc Santana – Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana

Temporada: 10 a 12/12/2021 – 3 únicas apresentações

Sexta e sábado, às 21h, e domingo, às 18h

Ingressos: R$ 40,00 (inteira), R$ 20,00 (meia-entrada) e R$ 20,00 (credencial plena do Sesc – trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes)

Bilheteria: terça a sexta, das 9h às 22h; aos sábados, das 10h às 21h; e aos domingos e feriados, das 10h às 19h

A Pane, de Friedrich Dürrenmatt, com direção de Malú Bazán

Teatro FAAP – – Rua Alagoas, 903

Temporada: de 14 de janeiro a 20 de fevereiro de 2022; Sextas-feiras às 21h; sábados, às 20h; domingos, às 18h. 

Ingressos: Sábados; R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia-entrada). Sextas e domingos; R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia-entrada).
Bilheteria física: TEATRO FAAP – Rua Alagoas, 903 – Higienópolis, São Paulo – SP, 01242-902, de quarta a sábado, das 14h às 20h. Domingo das 14h às 17h. Em dias de espetáculos até o início da apresentação.

Compras pelo site: https://teatrofaap.showare.com.br/  

Informações / Televendas: 11 3662-7233 / 11 3662-7234

Duração: 70 minutos   

Classificação: 14 anos  

Capacidade: 510 lugares


Leia Também: GNT estreia “A Revolução das Spice Girls”, série documental inédita no Brasil


Siga @Nerdrecomenda nas redes Sociais

Facebook Instagram Twitter

Deixe seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: