Agentes 355

“As Agentes 355” | Protagonismo Feminino em filme de ação sempre será bem-vindo

Quem não gosta de um filme de ação, repleto de revelações e reviravoltas? “As Agentes 355” veio para lhe surpreender com tudo e mais um pouco
As Agentes 355

O fortalecimento do protagonismo feminino veio forte em “As Agentes 355” com o elenco Jessica Chastain (IT: Capítulo Dois), Penélope Cruz (Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas), Lupita Nyong’o (Nós), Diane Kruger (Quentin Tarantino: Os Oito Primeiros) e Bingbing Fan (Lady of the Dinasty).

O longa conta a história de uma arma ultrassecreta que cai nas mãos de um grupo de mercenários, ameaçando o mundo. A agente da CIA Mace Brown (Jessica Chastain) terá então que unir forças para uma missão letal com a agente alemã Marie (Diane Kruger); a ex-membro do MI6, especialista em computadores, Khadijah (Lupita Nyong’o); a psicóloga Graciela (Penélope Cruz), e com Lin Mi Sheng (Bingbing Fan), uma mulher misteriosa que está rastreando todos os seus movimentos.

Cheio de adrenalina, “As Agentes 355” apresenta inúmeras cenas de ação ao redor do mundo, dos cafés de Paris e mercados do Marrocos à riqueza e glamour de Xangai.

As Agentes 355

Ao ser convidada para assistir ao filme fui atrás de conteúdos lançados fora do Brasil e para minha surpresa, ou não – meu primeiro pensamento que “pois é, vivemos num mundo machista…”.

O longa debutou com 22% de aprovação pelo Rotate Tomate. Confesso que 22% para “As Agentes 355” não chega nem aos pés do que esse filme pode alcançar, porque ele vale no mínimo 60% com muito louvor. Temos muita ação protagonizado apenas por mulheres que levam o filme nas costas, mas que fique claro: existe problemas de roteiro sim e que poderiam ser consertados retirando alguns minutos de filme que, sinceramente, não fariam nenhuma falta.

A grande maioria das críticas negativas que vocês encontrarão, pelo menos das que pesquisei, é escrita por homens que se dizem críticos exemplares e que aceitam homens protagonizando o mesmo tipo de conteúdo, aprovando com veemência e sem realçar as relações caóticas e tóxicas com as personagens que contracenam nos longas, porém quando colocadas de forma inversa, onde a mulher compreende a relação ruim que ela está vivendo e toma as devidas atitudes em virtude de uma vida diferente, os bonitos se colocam no pedestal para rebater apenas com a frase: “falta de diversão e bom entretenimento”.

As Agentes 355

O longa é repleto de tiros, apetrechos tecnológicos, brigas, explosões e violência, como um bom filme de ação merece, além de ser muito bom de ser assistido, essencialmente pela diversidade que encontramos no elenco de mulheres com culturas e etnias diferentes.

Temos um arco bem longo e próximo ao fim acaba se tornando prolongado, chega a ser até arrastado e sem nenhuma necessidade de algumas cenas, falas, ações e atitudes dos personagens, mas “As Agentes 355” é divertido, feminino e com muita ação, pode apostar!


Leia Também: “Amor, Sublime Amor” remake dirigido por Steven Spielberg vai ser um divisor de opiniões | Venha entender a razão


Siga @Nerdrecomenda nas redes Sociais

Facebook | Twitter | Instagram

Um comentário

Deixe seu Comentário