Colônia

Colônia – Série do Canal Brasil mostra o drama do hospital psiquiátrico da Colonia de Barbacena

Colônia é uma minissérie produzida pelo Canal Brasil, e conta a terrível história da Colônia de Barbacena, um hospital psiquiátrico localizado em Minas Gerais.

Colônia - Canal Brasil

A série tem uma inspiração no livro Holocausto Brasileiro, que denuncia os maus tratos dos pacientes dentro do hospital, com do depoimento de ex-funcionários e pessoas ligadas diretamente ao dia-a-dia do funcionamento do local.

A Colônia de Barbacena era um hospital psiquiatra, fundado no começo do século XX, onde eram internados pacientes doentes mentais, porém pessoas normais também eram internadas, quem desafiavam os costumes e as tradições da época. Mulheres empoderadas, gays, filhos de ex-escravos eram diagnosticados como loucos ou estéricos, indo passar o resto de suas vidas em Barbacena. Esse é caso de Elisa, protagonista da série, uma mulher que recusou o casamento arranjado de seu pai, e como punição foi enviada para Colônia, sobre a falsa acusação de esquizofrenia.

Colônia

A estítica da série é uma bela, gravada me preto e branco, para dar um clima acentuado de terror e suspense. Colônia é local terrível e pavoroso, onde as pessoas são submissas à tortura, maus tratos e descaso total com quem vive lá. É todo esse horror e aumentado pelo preto e branco. A câmera sempre busca as costas de Elisa, como se fosse uma visão em primeira pessoa para transmitir o drama da moça, com momentos de terror o tempo todo. Quando a câmera pega o rosto dela, as expressões de medo e ansiedade são claros.

As filmagens aconteceram em São Paulo e Campinas, e o trabalho de reconstrução do hospício ficou impecável, com uma ambientação densa, aos moldes de uma prisão misturada com uma fazenda. Os detalhes dos quartos, do centro medico e patio, dão o clímax de horror para série.

A trilha sonora está presente o tempo inteiro, com um órgão ou piano tocando para dar um clima de tensão. A música repete ao suspense, e criar uma ansiedade em quem está assistindo, pois, algo pode acontecer ha qualquer momento

Colônia - Nerd Recomenda

O elenco foi muito bem escalado. Elisa tem uma personalidade que vai se desenvolvendo é a atuação da atriz contribui para demonstrar o desespero da garota, que está injustamente presa em uma clínica psiquiátrica. 

Colônia tem um roteiro bem escrito, visualmente bela, uma trilha sonora com orquestra intensa e tramática, atuações bem interpretadas, ótimo trabalho dos atores e um cenário digno dos melhores filmes de terror. O Canal Brasil traz uma obra envolvente, pesada, porém cativante, que traz reflexões sobre como tratamos os doentes metais.

Sinopse: 

O Hospital Colônia de Barbacena, MG, foi fundado em 12 de outubro de 1903, cerca de quinze anos após a abolição da escravatura e da proclamação da República, e pouco após a criação da Assistência aos Alienados no estado em 1900. Foi construído em terras da Fazenda da Caveira, propriedade que diziam pertencer ao delator da Inconfidência Joaquim Silvério dos Reis. O município receberia o epíteto de “Cidade dos Loucos”. 

O trem que carregava os internos para lá foi apelidado de “Trem de Doido” pelo escritor Guimarães Rosa. Inicialmente construído com 200 leitos, o hospital atingiu a marca de cinco mil pacientes nos anos 60. Os pacientes eram mantidos em condições sub-humanas. Faltavam leitos, roupas, proteção contra o frio, água e comida. Havia outras formas de tortura, como o eletrochoque, utilizado sem finalidade terapêutica, e os banhos frios. 

O hospital tornou-se destino de todo tipo de indesejável social da época, que demostra racismo e desigualdade: homens e mulheres negras, homossexuais, alcoólatras, prostitutas, jovens grávidas, vítimas de estupro, mulheres com senso de liderança e opositores políticos. Deste modo, a internação era de fato uma forma de exclusão. As denúncias contra o Colônia surgiram nos anos 60. Em 1961, o fotógrafo Luiz Alfredo registrou pela primeira vez, para a revista “O Cruzeiro”, a grave situação de abuso dos direitos humanos que ocorria no hospício. Helvécio Ratton dirigiu o documentário “Em Nome da Razão” em 1979.

Em 2013, a escritora e jornalista Daniela Arbex escreveu o premiado livro-reportagem “Holocausto Brasileiro”. A série “Colônia”, que estreia dia 25 de junho de 2021, é um esforço ficcional inspirado pelos fatos reais. Os episódios buscam retratar a realidade de diversas personagens que representam os grupos sociais vítimas desta violência. 

Os registros históricos, ainda que lacunares, serviram como base para a criação da série. Trata-se de uma adaptação que busca um olhar crítico em relação à sociedade patriarcal e conservadora do país, que tinha como hábito livrar-se dos indesejados jogando-os nestes depósitos humanos. Através de Elisa, filha de fazendeiro, uma “estranha no ninho” enviada para internação pelo próprio pai, o público é convidado a conhecer alguns dos dramas humanos que se desenrolaram no Colônia, e também a projetar futuros possíveis – futuros pelos quais devemos lutar.

Classificação: 16 anos

Criação e direção: André Ristum

Roteiro: André Ristum, Marco Dutra e Rita Gloria Curvo

Elenco: Fernanda Marques, Andréia Horta, Augusto Madeira, Naruna Costa, Bukassa Kabengele, Arlindo Lopes e Rejane Faria.

Estreia: sexta, dia 25/06, às 21h30.

Horário: sexta, às 21h30

Alternativos: madrugada de sábado/domingo, 1h55, e madrugada de segunda/terça, 0h55.

A série também estará disponível na Globoplay.


Leia Também: Manhãs de Setembro – série do PrimeVideo traz protagonista trans sem esteriótipos

Siga @Nerdrecomenda nas redes Sociais

Facebook | Twitter | Instagram

2 Comentários

Deixe seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: