Dancing with the Devil

‘Demi Lovato: Dancing with the Devil’ mostra o lado B da vida da cantora pop

Os dois primeiros episódios de Dancing with the Devil já está disponível na canal oficial da artista no YouTube 

Demi Lovato lançou na última terça-feira, 23, o documentário Dancing with the Devil, ou Dançando com o Diabo em português, que retrata o antes e o depois da overdose da cantora. 

Com episódios de quase 30 minutos, Demi conta detalhes de sua vida que, antes do dia 24 de junho de 2018, data em que ela quase morreu após sofrer três derrames e uma parada cardíaca em decorrência da overdose, era segredo. Sem contar para as pessoas próximas, a cantora deixou de lado os 6 anos de sobriedade e se entregou a novos vícios.

O documentário mostra o lado B da cantora, assim como nos discos de vinil, no qual ambos os lados continham músicas, sendo que o lado B era considerado a parte autêntica, a essência e a verdade do artista. E é isso que Dancing with the Devil nos traz, os dois lados de Demi, um que aparentemente estava bem, principalmente para a família e amigos, e o outro que estava ficando cada vez mais dependente das drogas.

Quase três anos depois da noite em que Demi teve a overdose, podemos analisar tudo que aconteceu e encontrar os sinais de que ela não estava bem. Como na letra da música Sober, quando ela diz “Me desculpe por estar aqui de novo, eu prometo que vou procurar ajuda”. No entanto, isso só ficou claro depois que ela lançou outra música, Anyone, onde ela questiona “pra quê eu estou rezando, no fim das contas? Se ninguém está ouvindo”, mas o single só foi lançado quando Demi já havia se recuperado.

A cantora também falou sobre o abuso sexual que sofreu na noite do dia 24, quando estava extremamente vulnerável e sem consciência do que estava acontecendo, fato que já havia sido confirmado pela atriz na entrevista dada ao The New York Times

O documentário conta com as participações de amigos e familiares de Lovato. A mãe, Dianna De la Garza, se emocionou ao lembrar como Demi estava antes do ‘Dia do Milagre’. Dianna soube do estado de saúde da filha após receber inúmeras mensagens no celular, e revelou no documentário qual foi sua reação.

O padrasto e as irmãs de Demi também falaram sobre o dia da overdose e como foi reencontrá-la. A caçula, Madison, afirma que foi muito difícil encontrar a irmã, que com sequelas da overdose, perdeu temporariamente a visão e não a reconheceu pela voz.

Antes do lançamento, o documentário foi considerado uma espécie de continuação do “Simply Complicated”, lançado em 2017. No entanto, é possível enxergar a evolução pessoal de Demi, e também, a super produção por trás de Dancing with the Devil, que tem uma abertura que a própria cantora compara com Harry Potter e Senhor dos Anéis. E para quem assistiu, é até semelhante ao filme Crepúsculo.

A abertura é lúdica, mas o conteúdo da série é extremamente sério. No início e final de cada episódio é sempre lembrado a importância de pedir ajuda e que está tudo bem não estar bem. 

Além dos episódios, outros vídeos foram disponibilizados para os assinantes premium do YouTube , como uma espécie de diários gravados pela cantora, onde ela fala como se sente e trata de assuntos específicos, como o término do noivado. É forte e extremamente sensível, mas vale a pena assistir e conhecer o lado B de Demi. 

O terceiro episódio da série documental está programado para o dia 30 de março, às 16h. Enquanto isso, os fãs da cantora podem conferir a canção que deu nome ao projeto.

Confira os dois primeiros episódios do documentário:

Texto por: Letícia Couto (@ilecouto)


Leia Mais:Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars’ – Resenha

Siga @Nerdrecomenda nas redes Sociais

Facebook | Twitter | Instagram

4 Comentários

Deixe seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: