ID Invaded

ID Invaded e o que está acontecendo?

Mexer com a mente alheia pode ser bem confuso, ainda mais se for um criminoso

Subconsciente, sonhos e serial killers são as bases de ID Invaded e se você não estiver prestando atenção, vai ficar sem entender. Essa é uma resenha que pode conter leves spoilers, nada muito significativo nem que vá estragar sua experiência (é que do contrário, não seria possível escrever nada).

A história se passa numa realidade em que detetives brilhantes (é o nome que eles usam) conseguem adentrar o subconsciente dos criminosos através de uma tecnologia ferrada. Dessa forma, os detetives entram na mente dessas pessoas e tudo isso é transmitido para os demais agentes envolvidos no caso. Existem condições específicas (que eu não vou falar) para que alguém consiga adentrar esse mundo do subconsciente, então nem todo mundo consegue.

ID Invaded

Pra ter uma ideia, só no terceiro episódio conseguimos saber mais sobre o próprio protagonista, Sakaido. Nos primeiros episódios, dentro da mente de alguém, vemos um rapaz bem jovem que se diz detetive. A partir disso, você já saí pensando que vai ser aquele esquema padrão de jovem demais, mas se tornou detetive pela inteligência (coisa de anime que não rola na vida real).

 

Porém, quando sai da mente dessa pessoa e volta pra vida real, ele já é um cara bem mais velho e viúvo. Sua filha foi brutalmente assassinada por um serial killer enquanto ele trabalhava exatamente em um caso desse assassino, chamado “The Challenger”. Esse fato mexeu bastante com o psicológico dele (e dá pra entender, foi horrível).

ID Invaded

O interessante de ID Invaded é que, toda vez que “mergulham” no subconsciente de alguém, os detetives não se lembram de nada, até que encontram o corpo de uma jovem assassinada, fazendo com que se lembrem de quem ela é (Kaoru), de quem eles mesmo são e da missão, que todos compartilham: pegar o assassino dela.

Essa menina morta é como se fosse uma memória, ela sempre é inserida na mente das pessoas para que os detetives que entram lá a encontrem e consigam se lembrar das coisas (não é um evento isolado, esse padrão se repete toda vez que eles estão na mente de alguém). Além disso, sua imagem física muda, então eles parecem até outras pessoas quando entram na mente (por isso as mudanças no protagonista).

 

Ao longo dos episódios, vamos conhecendo casos de criminosos diferentes e a função dos investigadores é localizar esses criminosos antes que eles façam mais vítimas. E, ao que parece, todos esses criminosos estão de alguma forma conectados com o grande vilão da história, com pseudônimo de John Walker.

ID Invaded
Passamos o anime todo tentando descobrir quem é esse tal de John Walker

Mais pra frente no anime, um dos detetives adentram o subconsciente do próprio protagonista e rola uma parada meio parecida com o filme “A Origem”, onde eles passam de um subconsciente para outro, sem voltar para a realidade. Vamos descobrindo segredos, passamos a conhecer melhor aquela jovem morta dos outros episódios e parece muito confuso quando eu tento colocar em palavras aqui, mas dá pra entender vendo as cenas em si.

ID Invaded possui 13 episódios, produzidos pelo estúdio NAZ, e é baseado no mangá de mesmo nome, de Otaro Maijo. Por mais que tenha toda essa questão de detetives e investigações, o anime em si é mais voltado para o drama, principalmente do protagonista, do que o mistério, então não entre de cabeça achando que vai ser uma grande obra de mistério porque o foco não é esse.

ID Invaded usa uma temática bem surreal e, talvez, demore um pouquinho pra sacar a linha de raciocínio dos personagens, mas não deixa de ser interessante. Os episódios passam de uma forma que, quando você percebe, já acabou. Eu diria até que dá pra ver tudo num mesmo dia.

LEIA TAMBÉM: Sangue&Água chegará na Netflix na próxima semana

Siga @Nerdrecomenda nas redes Sociais

Facebook | Twitter | Instagram

Um comentário

Deixe seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: