Mad Max - Nerd Recomenda

“Mad Max- Estrada da Fúria” e o terror instaurado

Prepare- se para perseguições de carro com muita violência no meio do deserto

Qualquer pessoa que goste de cinema sabe a importância que filmes como Mad Max tem para a área. Desde o lançamento do primeiro filme de 1979, a produção já mostrou ao público para o que veio. Mesmo depois de 30 anos, a ideia do filme ainda consegue ser bem representada e sem ser cansativa ou imagem repetida com o longa de 2015, Mad Max – Estrada da Fúria.

Mad Max
Mad Max é uma franquia de filmes australianos, do gênero ficção científica. Créditos: Portal Overtube/Divulgação

Disponível na Netflix, em Mad Max – Estrada da Fúria, o protagonista Max Rockatansky, interpretado por Tom Hardy, ainda traumatizado pelas mortes que causou tenta ajudar um grupo de mulheres desertoras que tentam fugir da cidade governada por um tirano que controla toda a população e recursos para sobreviver em uma época apocalíptica onde a Terra está com grande parte de sua área destruída.

 Para aqueles que já conhecem a história de Mad Max já sabem o que vão encontrar. Um imenso deserto, perseguições intensas de carro e violência ao extremo. Porém, o que chama atenção no filme é que ele se passa na Terra e não em um outro planeta, onde uma raça domina a outra e luta para conquistar as coisas. Isso gera no espectador um certo receio e um medo de “e se um dia isso acontecer?”.

Já havia assistido ao antigo de 1979, mas sem muita atenção na questão de contexto do filme, simplesmente parecia uma produção de violência gratuita, mas não, Mad Max – Estrada da Fúria consegue chamar atenção pelas mesmas questões políticas e sociais que os anteriores, mas que trocava os elementos presentes neste jogo de disputa. Dar mais destaque para o protagonismo feminino e a libertação de uma sociedade da tirania de um governador deu ao filme uma nova roupagem e emoção para quem assiste.

Mad Max
O rock é o genêro musical mais presente na trilha sonora de Mad Max – Estrada da Fúria. Créditos: Gizmodo Brasil/Divulgação

Mesmo que o filme consiga surpreender pela sua história, os elementos que o compõem também chamam a atenção. A sociedade na qual o longa se pretende mostrar, marcada pela ruindade, ganância, miséria de um povo, tem o destino das pessoas determinado pela sua utilidade, trazendo um certo desconforto, nos fazendo refletir o quanto falta para a nossa sociedade chegar a esse ponto.

Porém, para quem não está acostumado ao clima de Mad Max, algumas cenas e momentos podem ser cansativos. O tempo de velocidade que alguns momentos possuem é diferente de outras produções. 

Mad Max - Nerd Recomenda
Créditos: Observatório do Cinema/Divulgação

Espera-se que um filme sobre carros tenha muito tempo com a presença dos objetos, como “Velozes e Furiosos”, outros longas em que o foco não são corridas e perseguições, esse tempo de tela é menor, agora Mad Max, que se apresenta como um filme pós apocalíptico e de sobrevivência, dedica um tempo enorme para as cenas com as perseguições de carro, e além disso, fatos importantes acontecem nesses momentos e por isso, necessitam de um certa atenção do público, o que pode cansar aqueles que não curtem muito esses momentos, tendo que acompanhar cada diálogo e momento decisivo acompanhado de muito rock “ao vivo”.

Mad Max – Estrada da Fúria é uma boa produção para quem quer ser introduzido na história da franquia, já que possui uma breve explicação do contexto da época, além de que pode ser uma experiência interessante observar como a história da sequência foi se adaptando ao cenário do cinema e trazendo mais fãs para esse universo, saindo de apenas um filme de lutas, perseguições e presença do herói masculino que salva a todos a sua volta, para um que o protagonista luta com seus próprios problemas pessoais e traumas e que serve como apoio para aqueles que apenas buscam uma vida melhor.

Leia Também: “Despertar”, um reflexo da humanidade

Siga @Nerdrecomenda nas redes Sociais

Facebook | Twitter | Instagram

Deixe seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: