Japonês - Nerd Recomenda

Nihonjin- Ser japonês no Brasil

Um livro tocante sobre a história de uma família japonesa que se desenvolveu em território brasileiro

Começar uma nova vida em um país do outro lado do continente e ver a sua identidade nacional sumindo aos poucos. Essa é a história que Noboru nos apresenta sobre sua família, começando pelo seu avô Hideo Inabata.

Japones
Oscar Nakasato, autor do livro, é descendente de japonês. Créditos: Gazeta do Povo/Divulgação

Escrito por Oscar Nakasato, em Nihonjin conhecemos a família Inabata desde a chegada de Hideo e sua primeira esposa Kimie que viajaram do Japão ao Brasil. O casal veio na época em que o país recebia diversos imigrantes para trabalhar nas lavouras e fazendas de café. Porém, o livro explora muito mais do que a parte histórica que já conhecemos, ele vai além, chegando no interior dos sentimentos de um japonês e todos os desafios enfrentados por um povo que se via estrangeiro em um local totalmente diferente.

Hideo Inabata, como diversos outros japoneses, veio ao Brasil com o objetivo de enriquecer e retornar ao país de origem com mais condições financeiras, porém, esse é um sonho que parece cada vez mais distante para o homem que tentava manter a todo custo sua identidade e de sua família como nihonjin.

A história toda é narrada pelo seu neto Noboru, que a cada capítulo nos apresenta os desafios que sua família enfrentou no Brasil. Seus avós, assim como outros imigrantes, enfrentaram alguns problemas, como trabalhar diariamente nas plantações de café com o sol forte, não acostumados à comida local, como carne de porco, mas que pegaram gosto pela cachaça, e escolas locais que ensinavam as crianças, descendentes de japonesas mas nascidas no Brasil, que eram brasileiras.

Com o desenvolver da história, vamos seguindo a árvore genealógica da família Inabata, chegando aos filhos de Hideo e aos seus netos, que passam por novos problemas como se apaixonar por uma pessoa não japonesa, aprender a gostar da cultura brasileira e afirmar a derrota do Japão na 2ª Guerra Mundial.

Japonês
A imigração japonesa no Brasil começou em 1908. Créditos: Aventuras na História/Ilustração

Nihonjin é um relato fictício, mas que poderia ter sido real pelo conteúdo apresentado. Além de conter uma narrativa fácil de ler e cada vez mais chamativa e interessante, ela nos apresenta uma nova visão do que foi a imigração japonesa e coisas que ignoramos quando vemos em nossa frente. Um povo que em São Paulo teve boa contribuição para seu desenvolvimento econômico e que hoje, se resume a ser um grupo característico pelo bairro Liberdade.

Outros pontos abordado na obra é a xenofobia enfrentava pelos japoneses no Brasil, a luta constante para manter a identidade e cultura original de seu país e o medo de nunca pisar novamente em solo japonês.

Para quem ler o livro, diversos sentimentos surgem durante a história. Tristeza, alegria, aflição, compaixão e até mesmo pequenos momentos de romance, tudo de um modo delicado, como é conhecida a cultura tradicional do Japão. O final da obra é totalmente inesperado e doce ao mesmo tempo, fechando a história de um jeito ótimo.

Não é à toa que o livro foi o vencedor do Prêmio Benvirá de Literatura, um concurso que  ocorreu no Brasil e que contou com 1.932 participantes, todos com suas obras, mas com vencedor sendo Oscar Nakasato, neto de imigrantes japoneses.

Para quem se interessar pela obra, ela pode ser adquirida pela Amazon, Americanas e na Submarino.

*Texto escrito por Renata da Silva

Leia Também: Instituto Lumiere promove workshop online de “Waitress”

Siga @Nerdrecomenda nas redes Sociais

Facebook | Twitter | Instagram

2 Comentários

Deixe seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: