Viúva Negra

Viúva Negra – A história entre as histórias | Disney+

Viúva Negra se passa entre os longas ‘Capitão América: Guerra Civil’ e ‘Vingadores: Guerra Infinita’
Viúva Negra

Com a premissa de dar a Natasha Romanoff uma despedida digna de uma vingadora, o longa consegue esclarecer diversas problemáticas familiares que ditam sua conduta no decorrer de sua trajetória nos filmes em que esteve presente.

A Marvel nunca se preocupou no quesito ordem cronológica de seus filmes. Tendo em vista a linha atemporal em que fazem e lançam seus longas, temos claramente uma noção de que não se segue nenhuma ordem, mas quando assistidos de forma contínua, sabemos que a linearidade é sensata e faz total sentido.

Sendo assim, saibam que Viúva Negra acontece entre “Capitão América: Guerra Civil” e “Vingadores: Guerra Infinita”, período em que os heróis ficam separados após se desentenderem no Acordo de Sokovia. Sabemos que Natasha Romanoff teria forças suficientes para levar não apenas um longa sozinha, mas vários se tivessem lhe dado essa chance anteriormente, mas não foi o que aconteceu — infelizmente.

Viúva Negra

Em seu longa solo, Natasha retorna para resolver alguns (muitos!) assuntos pendentes familiares, bem como o “programa secreto” que a tornou a máquina assassina que conhecemos como Viúva Negra. Retornar para casa reabriu algumas feridas geradas pelos seus supostos pais e reaver sua irmã, treinada para matar assim como ela, faz essas feridas ficarem mais expostas do que deveriam. Mas não se abale por possíveis pontas soltas, porque tudo é devidamente alinhado e amarrado no decorrer dos 120 minutos de filme.

O longa traz uma personagem séria e com toda feminilidade que conhecemos de Natasha Romanoff, toda comédia se dá por sua irmã, interpretada por Florence Pugh, que soube se encaixar perfeitamente no papel e nos dando a deixa para sua possível inserção na trama e cronologia Marvel, o que nos leva a pensar: veremos a atriz nos próximos longas do estúdio? Fica a dica, caso ainda não tenham cogitado a ideia.

Viúva Negra

A trilha sonora se fez impecável e muito bem alinhada com a proposta de um longa repleto de ação e com muita feminilidade, já que também retrata um ponto delicado sobre abuso, principalmente psicológico, contra mulheres, cujas consequências acabam se tornando visíveis sob diversos direcionamentos. Como na própria protagonista que, mesmo tendo se libertado dessa prisão — e pressão —, ainda encontra dificuldades em lidar com os traumas causados a ela.

Classificação do Autor:

Avaliação: 4.5 de 5.

*Texto por Caroline Dias


Leia Também: Maratona ‘Viúva Negra’: Produções para assistir antes da grande estreia

Siga @Nerdrecomenda nas redes Sociais

Facebook Instagram Twitter

2 Comentários

Deixe seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: