Eleanor e Park

“Eleanor e Park” e olhar do amor pela adolescência

Ao mesmo tempo em que essa fase da vida pode deixar esse sentimento lindo, “Eleanor e Park” também pode fazer dele algo problemático pela pouca experiência

Uma das dificuldades em se analisar uma obra, seja audiovisual ou escrita, é lembrar qual é o seu objetivo e o público que ela é destinada. Não que isso impeça de que outras pessoas não possam apreciá-la, mas lidar com uma obra que consegue te encantar e incomodar ao mesmo tempo, dificulta o fechamento de alguma opinião sobre ela. Eleanor e Park é essa obra, que consegue te impressionar pela sua história, porém te deixando angustiado pelo rumo que algumas atitudes dos personagens levam o enredo.

Eleanor e Park
Eleanor e Park é um dos livros da escritora Rainbow Rowell. Créditos: Time Magazine/Divulgação

Eleanor e Park é um livro de romance da escritora norte-americana Rainbow Rowell, lançado em 2013, e conta a história de dois adolescentes que aos poucos vão desenvolvendo um amor pelo outro. 

Eleanor é nova na escola e, logo no primeiro dia, se senta ao lado de Park no ônibus. Ele, impressionado e surpreso pela ousadia da menina de aparecer com vários acessórios no cabelo e pulsos, além de roupas masculinas, troca com ela algumas palavras para que se sente ao lado dele (na verdade, quase que brigando). Ela senta e com isso, começa um período de dias sem se falar até que Eleanor começa a ler as revistas em quadrinho que Park lê no ônibus a caminho da escola. 

Entre espiadas e olhares de canto de olho durante o trajeto de uma hora no ônibus, aos poucos, os dois vão desenvolvendo uma amizade através dos quadrinhos e até mesmo interesse em música, mesmo que seus gostos e até mesmo suas famílias sejam muito diferentes.

Eleanor e Park
As artes na internet baseadas em Eleanor e Park dão mais vida a história. Créditos: Simini Biocher Tlumbr/Divulgação

Eleanor é uma jovem com grandes cabelos ruivos e cacheados, que se acha muito gorda em relação às outras meninas, além de usar roupas largas e muitos acessórios chamativos como colares grandes e gravatas no pescoço ou no pulso. Ela mora com sua mãe, seus quatro irmãos pequenos e seu padrasto, que não gosta dela e maltrata sua mãe, mesmo que esta não queira largar do marido.

Já Park, descendente de coreanos, parece ter a família perfeita. Ele possui um irmão mais novo e seus pais ainda são apaixonados um pelo outro. Seus gostos são revistas em quadrinhos e música, principalmente rock, sendo que possui no seu quarto diversas fitas e cds.

Aos poucos, vamos conhecendo mais os personagens e porque de algumas de suas ações. Em um primeiro momento, não dá para supor um relacionamento entre os dois, já que são bem diferentes e se comportam de modo distintos. Porém, são por pequenas iniciativas entre os protagonistas que o romance acontece. 

Eleanor e Park
As músicas citadas no livro Eleanor e Park também podem ser encontradas. Créditos: Biscoito Esperto/Divulgação

O livro se utiliza muito de metáforas, para ser um jeito de tentar descrever o que seria o amor na adolescência: sua intensidade, suas sensações sensação, mas que são difíceis de descrever. Além disso, a obra possui capítulos curtos intitulados pelo nome dos protagonistas para mostrar ao leitor a qual personagem o capítulo foca.

“Eleanor e Park” encanta pela doçura e delicadeza do amor de duas pessoas que vai aos poucos se construindo. É uma coisa muito fofa ver eles descobrindo coisas positivas e belas um no outro apenas pelas olhadas discretas. Fora alguns momentos específicos do livro que fazem um mínimo gesto ser algo incrível.

Porém, nem tudo no livro parece ser perfeito. Além de entregar um final muito decepcionante e sem muito sentido, em algumas partes da história bate uma certa raiva por ações dos protagonistas, principalmente de Eleanor, pela sua ausência de fala em momentos decisivos, sua insegurança que ultrapassa todos os esforços de Park para fazê-la sentir-se bem, e teimosia de ambos, que parece superar todo o amor que sentem.

Mesmo com esses pontos, é um livro interessante de ler, mas quem já consegue lidar com relacionamento de uma forma mais madura e sabe da importância do diálogo, pode ver “Eleanor e Park” como um livro próprio para adolescentes muito jovens ou até mesmo adultos que não sabem muito bem como se relacionar com outras pessoas. 

Leia Também: Wanda, mulher brasileira transgênero lançará série na Amazon Prime

Siga @Nerdrecomenda nas redes Sociais

Facebook | Twitter | Instagram

Um comentário

Deixe seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: