My Next Life as a Villainess: All Routes Lead to Doom!

Resenha: My Next Life as a Villainess: All Routes Lead to Doom!

Um bom clichêzinho para procrastinar suas obrigações

My Next Life as a Villainess: All Routes Lead to Doom! (no original: Otome Game No Hametsu Flag Shika Nai Akuyaku Reijou Ni Tensei Shiteshimatta…) é um isekai, no estilo “harém invertido”, ou seja, a protagonista feminina vira o interesse amoroso de todo mundo, praticamente. Porém, ela não tem tempo para isso, porque está muito ocupada tentando não morrer, já que, nessa história, ela é a “vilã”.

My Next Life as a Villainess: All Routes Lead to Doom!

Katarina Claes é uma nobre, filha do duque e com a vida feita e sem uma preocupação… até cair e bater a cabeça, o que a faz relembrar sua vida passada, como uma estudante otaku, e perceber que todo o seu universo atual é a gameplay de seu jogo favorito Fortune Lover.

Como se não bastasse, de todos os personagens que ela poderia reencarnar, a jovem é justamente a vilã principal da história, a mesma que acaba sempre com um final trágico.

A partir dessa revelação, a personalidade da protagonista, que já estava caminhando para o que se esperava da vilã, muda drasticamente e Katarina começa a bolar toda uma estratégia para o futuro, para evitar seus finais trágicos (flags) no jogo. Ela só não contava com a quantidade de corações que roubará no caminho, com essa mudança de caráter.

Pontos de interesse

Uma das primeiras coisas que me chamou a atenção foi o foco na infância da Katarina e seus amigos, mostrando melhor como ela conheceu cada um deles e como as relações se estreitaram. Então não temos só um flashback da infância e voltamos para o presente, o anime começa com todas elas criancinhas mesmo. Além da protagonista, nós teremos um aprofundamento nas histórias dos outros personagens, para entendermos quem são.

Outro ponto interessante foi a escolha da jovem. Já que um final feliz está fora de cogitação, ela resolve que viverá uma vida simples e normal, de forma que passa a aprender a cultivar vegetais, já visando viver do que à terra lhe oferecer. Isso quebra completamente a visão de nobreza que todos têm dela, que agora vive no jardim plantando repolho e suja de terra (mas feliz). Enquanto isso, a mãe dela fica se perguntando onde errou…

My Next Life as a Villainess: All Routes Lead to Doom!

Por ser um harém reverso, pretendentes não são novidades. Porém, a inclusão de pretendentes mulheres, incluindo a própria heroína da história, segundo o jogo, é novidade. E não fica só subentendido ou algo tipo “uma grande amizade”, as personagens deixam claras suas intenções. É bom salientar que, nesse tipo de obra, é comum a galera passar do ponto com a protagonista, mas, pelo menos do que me recordo, não notei nada tão agressivo por parte de todos. Meio que tem um consenso de que “a Katarina é muito ingênua, então não abusaremos dela, nesse nível” (pelo menos até a 2° temporada…).

Normalmente tenho um certo problema com personagens como da Katarina, ou seja, total e completamente cegos para os sentimentos que os outros nutrem por ela. E não é como se eles estivessem tentando esconder, às vezes fica bem explícito, mas a menina viaja tanto que tudo dito para ela, de alguma forma é interpretado como um possível final trágico para sua vida. Ainda assim, as pirações da Katarina conseguiram me entreter e superar esse problema quanto sua falta de noção.

Por fim, para entretenimento, quando a protagonista está num dilema e precisa resolver alguma questão, chegar a alguma conclusão, na mente dela rola uma reunião com 5 mini Katarinas (como personas dela) e forma-se um júri para decidir o que fazer (e é só isso que eu queria acrescentar).

My Next Life as a Villainess: All Routes Lead to Doom!

O harém: quem são? Qual sua relação?

Primero de todos temos o Geordo Stuart, noivo da Katarina. O noivado foi arranjado por conta daquele acidente do começo da história, porém Geordo realmente se apaixonou e quer seguir com o noivado. Katarina acredita que o noivado forçado o impede de ficar com a heroína, daí vive tentando quebrar o acordo.

Geordo tem um irmão gêmeo (Alan Stuart) que, na infância, sempre teve a saúde bem fraca. Alan acaba conhecendo Katarina e se interessando pelo jeito espevitado dela que vive aprontando, mas sabe que ela é noiva de seu irmão, então guarda seus sentimentos para si. Além disso, Alan também tem uma noiva, Mary Hunt, uma jovem nobre menosprezada pelas irmãs, mas que adorava flores. A protagonista chega na vida dela e a faz perceber que ela tem um dom para cultivar, pescando o coração da Mary (Katarina roubou o coração de ambos os noivos).

My Next Life as a Villainess: All Routes Lead to Doom!

No quesito “relações polêmicas”, não podia faltar o irmão adotivo de Katarina, Keith Claes. O rapaz sofria maus-tratos por ser filho bastardo de outra família nobre, quando o pai de Katarina resolve adotá-lo. Keith tinha vários traumas, mas foi a afeição de Katarina, como irmã mais velha que o fez se abrir para essa nova família. Com o tempo, ele percebeu que a amava, além de um simples amor fraternal (eles não têm nenhuma relação sanguínea, mas, para mim, já é não).

Os irmãos Nicol Ascart e Sophia Ascart também caem nas graças dela. A Sophia é uma jovem albina e sofria preconceitos por sua aparência, a qual Katarina acha linda. As duas acabam dividindo o amor por livros de romance. E Nicol vendo a forma gentil como Katarina trata sua irmã e a faz feliz, acaba se afeiçoando por ela também. Sophia decide então bolar situações para que seu irmão consiga conquistar o coração da protagonista.

Enfim temos Maria Campbell, a heroína que, segundo o jogo, é perseguida e atormentada por Katarina. Porém, nessa nova realidade Katarina resolve fazer de tudo para ajudar Maria que sofria bullying de outras pessoas na escola, por ser de origem humilde, apesar de seu grande poder mágico. Maria passa a fazer doces para presentear a nova amiga que vai roubando seu coração aos pouquinhos.

My Next Life as a Villainess: All Routes Lead to Doom!

My Next Life as a Villainess já conta com duas temporadas (24 episódios no total), disponíveis na Crunchyroll. O anime é adaptado de uma light novel, escrita por Satoru Yamaguchi e ilustrada por Nami Hidaka.

Não cheguei a ler a novel para comparar, mas do que posso dizer do anime, ele não faria parte da “lista obrigatória de obras que todos deveriam ver” (inventada por mim, agora), porém ele tem seu charme, como um bom clichê. Tem sua subtrama sobre magia das trevas que é proibida, mas tem gente usando e ela funciona para além da questão do harém, mas o foco, no final, é o harém mesmo.

Não sei se na história original há algum encaminhamento, alguma rota que a personagem está seguindo, entretanto, notei que, no anime, a história vai focando mais em algumas opções específicas, principalmente na segunda temporada. Posso estar enganada, mas acho que está caminhando para certo alguém (que não direi quem é, mas é uma das minhas escolhas favoritas). Fica aí a dica: quem vai ficar com Katarina? (e isso foi uma referência muito velha)

Por: Letícia Vargas


LEIA TAMBÉM: Sasaki to Miyano – um romance com sobrecarga de fofura garantida


Siga @Nerdrecomenda nas redes Sociais

Facebook Instagram Twitter

2 Comentários

Deixe seu Comentário