Uma história de amor e TOC - Nerd Recomenda

Uma história de amor e TOC por Corey Ann Haydu – A visão de quem conhece bem o transtorno.

Uma História de Amor e TOC é um daqueles livros que te chamam a atenção pela sua belíssima capa.

Uma história de amor e TOC
capa do livro Uma história de amor e TOC | foto: divulgação editora Galera

Podemos ser loucos, mas existe uma lógica por trás até mesmo das coisas mais loucas que fazemos.

Ok, eu particularmente não tinha muito interesse em ler um livro com um tema tão pessoal para mim, então seria um ótimo enfeite para a minha estante, afinal, essa obra é a coisa mais linda, além de que amo amarelo! Mas enfim, decidi ler e me surpreendi muito!

Para quem não sabe, o Transtorno Obsessivo Compulsivo é uma condição incurável, porém nada que seja tão grave assim e o que mais vemos nas mídias hoje em dia é o termo “TOC” sendo usado como adjetivo para pessoas perfeccionistas, sendo algo que eu esperava encontrar neste livro.

O romance escrito por Corey Ann Haydu, publicado pela editora Galera, é bem informativo e de simples compreensão. Nele, pude me encontrar em várias características dos personagens principais e até me senti confortável com a leitura. A começar pela personagem Bea!

O livro é narrado na visão de Beatriz após receber o diagnóstico desanimador de sua psicóloga, levando-a a questionar suas atitudes e negar ao máximo possível sua condição. A protagonista sofre com crises de ansiedade e possui a “mania” de stalkear um jovem rapaz sem finalidade alguma, somente pelo prazer. Ela encontra dificuldades em aceitar que possui TOC, já que não é nem perto de ser uma pessoa organizada e com rotinas regradas.

No primeiro capítulo, Bea se encontra deslocada em uma festa de sua escola, até que percebe alguém tendo uma crise de pânico por perto e decide ajudar dando-o um beijo após várias tentativas falhas em acalmá-lo. Ela não pensaria que iria rever esta pessoa algum dia, até ser obrigada a fazer terapia em grupo, descobrindo que o rapaz se chama Beck, fazendo-a precisar aprender a lidar com a confusão dos seus sentimentos de preconceito em relação às pessoas da terapia, em especial por ele. Porém tudo muda quando Bea passa a conhecê-lo melhor, a conduzindo para a sua própria aceitação.

A história é bastante divertida e podemos ver como duas pessoas com problemas semelhantes lidam com suas limitações de formas diferentes. O livro também trabalha a ideia do preconceito, aceitação, empatia e mostra o dois lados de uma mesma moeda sem se prender ao tradicional, e nem tampouco fugir do ar dos romances adolescentes que tanto amamos. 

Uma história de amor e TOC ganhou não somente um lugar especial na minha estante, mas também no meu coração! Valeu muito a pena ter dedicado o tempo para devorar as páginas desse romance lindo e tão bem escrito. Por fim, posso descrevê-lo como um livro de personagens com problemas reais e com um superações alcançáveis. 

Leia Também: O Príncipe Cruel (Holly Black)

Siga @Nerdrecomenda nas redes Sociais

Facebook Twitter Instagram

2 Comentários

Deixe seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: