13 produções que pessoas não-negras precisam assistir 

Que hoje é 13 de maio, todo mundo que olhar o calendário sabe. O que talvez ainda não saibam é o que este dia representa dentro da história brasileira e, por isso, trouxemos esta indicação de 13 produções que pessoas não-negras precisam assistir. 

Segundo os acontecimentos históricos, em 13 de Maio de 1888, a princesa Isabel assinou um documento chamado Lei Áurea, que “deu liberdade” às pessoas escravizadas com menos de 60 anos (porque já estavam dispensadas pela Lei do Sexagenário) e os nascidos antes de 1871 (Lei do Ventre Livre). 

Então, pera, vamos com calma. Este é um texto por causa da liberdade que a princesa assinou? Sim e não. 

Sim, porque me aproprio também de datas como esta para fazer o meu trabalho diário: tensionar o racismo na sociedade. E não porque (A) Isabel e o governo português não DEU nada à ninguém, já era uma pressão social que não houvesse mais mão de obra escravizada. Inclusive fomos o último país do ocidente a abolir esta cultura criminosa e (B) não se comemora este dia justamente por não ser mérito dela (nem de pessoa branca alguma) e pela infinidade de desigualdades que as pessoas negras continuam carregando sobre os ombros todos os dias. 

Bom, tendo dito isso, é importante que todas as pessoas da sociedade se comprometam com a dissolução do racismo e das micro violências raciais cometidas todos os dias, conscientemente ou não, principalmente da parte dos grandes privilegiados nisso tudo. Então, as indicações ajudam a visualizar melhor as situações e às vezes, literalmente ensinar como não fazer. 

1. A gente se vê ontem (2019) – O drama sci-fi é um convite a reflexão a partir de um episódio traumático na vida de uma menina que construiu uma máquina do tempo e tenta usá-la para consertar a situação. A questão é que, independente das ações da menina, algo trágico sempre acontece. Para assistir o trailer, acesse: https://www.youtube.com/watch?v=r3e6rk6Qm58  

13 produções que toda pessoa não negra precisa assistir
Madame Satã era pai de 7 filhos. Créditos: Reprodução.

2. Olhos que Condenam (2019) – A história real que ficou conhecida como Os Cinco do Central Park conta em 4 partes a história de adolescentes negros que foram condenados pelo estupro de uma mulher no parque, mesmo com provas inconclusivas e abusos policiais. A minissérie que mostra a experiência desses meninos enquanto estiveram na prisão também ganhou uma produção chamada Oprah apresenta: Olhos que Condenam em que os atores e as vítimas reais são entrevistados pela jornalista.

 

 

3. Madame Satã (2002) – O filme brasileiro (e francês) estrelado por Lázaro Ramos conta a história de João Francisco dos Santos, transformista, ex-presidiário, entre outras artista, considerado malandro da área da Lapa, zona boêmia carioca.

 

4. Eu não sou seu negro (2016) – O documentário de Raoul Peck, baseado em escritos de James Baldwin, I Am Not Your Negro, relata questões raciais no EUA e contém momentos das histórias de vida e de assassinato dos ativistas Medgar Evers, Malcolm X e Martin Luther King Jr. O documentário está disponível aqui

 

5. Infiltrado na Klan (2018) – O filme conta a história de um policial negro que consegue se infiltrar na Ku Klux Klan através de cartas e telefonemas, mas quando um encontro presencial se faz necessário, ele manda um colega policial branco em seu lugar. No decorrer da produção, o colega que não se importava com a causa, passa a refletir sobre as questões segregacionais a partir de sua origem judaica. A direção de Spike Lee é em cima de uma história real e  usa de momentos cômicos para explorar o absurdo. 

 

13 indi
Lupita Nyong’o estreia como a escrava Patsey e leva o Oscar (2014) de Melhor Atriz Coadjuvante. Créditos: Reprodução.

6. 12 Anos de Escravidão (2013) – Inspirado na autobiografia de Solomon Northup que foi sequestrado e vendido como escravo, mesmo sendo um homem liberto. Solomon era um músico conhecido e vivia com a família até ser sequestrado pelos homens com quem trabalhava. O filme não é recomendado para assistir com crianças.

 

7. Nós (2019) – Categorizado como “terror psicológico”, o filme conta a história de uma mulher que tem trauma de voltar à praia, mas por insistência da família, retorna ao local. Durante este final de semana, eles recebem a visita de uma família idêntica a eles. 

 

8. Get Out (2018) – O filme Corra é a história de uma casal interracial de namorados que vão passar uns dias na casa da família da moça. O namorado negro sente falta de outras pessoas negras, mas esse não é o único problema quando falas e olhares estranhos começam a denunciar que existe algo muito maior nisso tudo e ele encontra fotografias de sua namorada com pessoas negras desconhecidas. Get Out é dirigido por Jordan Peele, assim como Nós. 

 

9. 13ª Emenda (2016) – O documentário que é dirigido por Ava DuVernay (a mesma de Olhos que Condenam), explica através de especialistas, historiadores e ativistas o alto crescimento da população carcerária e a política de encarceramento. O nome da produção faz referência a 13ª mudança na constituição estadunidense.  

 

10. Explicando – A diferença de riqueza entre brancos e negros (2018) – O episódio de Explicando, comenta, de maneira didática e através de entrevistas, o motivo das pessoas brancas serem mais ricas do que pessoas negras (no sentido de grupo) nos Estados Unidos. Apesar da localização pontual do documentário, parte desta lógica pode ser aplica ao refletirmos sobre a mesma situação no Brasil. 

 

11. A Negação do Brasil (2000) – A obra reflete o papel das pessoas negras nas telas. O documentário atravessa a história das novelas no Brasil e tensiona os estereótipos atribuídos aos atores e atrizes negras e a influência da construção da identidade afro-brasileira a partir da dramaturgia. A Negação do Brasil é, mais uma vez, a comprovação de que a representatividade importa e por isso, precisamos de imagens negras positivas na mídia.   

13 produções que pessoas não-negras precisam assistir 
O que poderia ser um filme de romance, é atravessado pelo racismo. Créditos: Reprodução

 

12. Se a Rua Beale falasse (2018) – O filme é uma obra homônima do romance de James Baldwin em que uma esposa luta para provar a inocência de seu marido que está preso enquanto ela espera um bebê. O crime não foi cometido pelo acusado e as justificativas, racistas.

 

13. Atlanta (2016) – A comédia dramática conta a história de dois primos que tentam ganhar a vida através de Hip-Hop, um cantando e o outro, como empresário, para mudar as suas vidas e a de suas famílias. Os primos discordam de muitas coisas, mas ambos passam dificuldades por serem homens negros nos subúrbios dos Estados Unidos.  

 

 

LEIA TAMBÉM: O Império Madam C. J. Walker

Siga @Nerdrecomenda nas redes Sociais

Facebook | Twitter | Instagram

Um comentário

Deixe seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: