Hayao Miyazaki

Hayao Miyazaki – animações que deixam um legado Parte 1

Uma lista com os filmes de animação japoneses mais memoráveis

Hayao Miyazaki é mundialmente conhecido por suas animações, como cofundador dos Studios Ghibli, companhia de cinema e animação (eu diria que é tipo a Disney do Japão). Miyazaki já chegou até a ganhar um Oscar honorário em 2014, pela sua contribuição com a indústria de animação.

Hayao Miyazaki
Hayao Miyazaki

Suas obras tratam de diversos temas como a relação entre a humanidade, a natureza e a tecnologia, enfatizando a fragilidade da Terra, além de temas como pacifismo, feminismo, amor e família. Dessa forma, as protagonistas de seus filmes são quase sempre meninas ou mulheres jovens e fortes, e com antagonistas ambíguos.

“Muitos dos meus filmes têm fortes protagonistas femininas – garotas corajosas e autossuficientes que não pensam duas vezes antes de lutar pelo que acreditam de todo o coração. Elas precisarão de um amigo ou um apoiador, mas nunca de um salvador. Qualquer mulher é tão capaz de ser um herói quanto qualquer homem.”, Hayao Miyazaki

Há algum tempo fiz aqui uma lista com os filmes do diretor Makoto Shinkai (você pode conferir aqui a parte 1 e parte 2). Agora, apresento uma listinha com alguns filmes do qual Hayao Miyazaki trabalhou como diretor (por ordem de lançamento):

  1.   Nausicaä do vale do vento (“Kaze no Tani no Naushika”, em jp)

Lançado em 1984, Nausicaä do vale do vento é baseado em um mangá, de mesmo nome, e se passa mil anos após que um evento que destruiu a civilização humana e a maior parte do ecossistema da Terra, os 7 Dias de Fogo.

TOP Personagens Femininas de Animes | 4. Nausicaa | Magazine.HD

Lutando pela sobrevivência, a humanidade se dividiu em pequenos reinos, isolados pelo Mar da Corrupção, uma floresta tóxica, com plantas e insetos gigantes.

A protagonista, Nausicaä, é a princesa do pequeno reino do Vale do Vento. Corajosa e carismática, ela tenta compreender o Mar da Corrupção e ajudar seu povo contra os ataques dos reinos vizinhos.

Nausicaä é o claro exemplo do estilo de Miyazaki de colocar o homem x a natureza, mostrando nossa pequeneza em relação a ela, além de não desenhar linhas claras entre heróis e vilões, todos são apenas humanos.

  1.   O castelo no céu (“Tenkū no Shiro Rapyuta”, em jp)

De 1986, O Castelo no Céu foi o primeiro filme produzido oficialmente pelos Studios Ghibli. Na história, Sheeta é uma garotinha órfã que foi sequestrada pelo coronel Musk por ser dona da pedra azul da levitação.

Os filmes do Studio Ghibli, listados do pior para o melhor | by Miguel  Serpa | Medium

Ambos estavam a bordo de um dirigível, quando este foi atacado pelos piratas aéreos e, depois de tentar escapar deles, Sheeta cai do dirigível e é salva um garoto chamado Pazu.

Sheeta acaba se juntando à Pazu, que segue os passos de seu pai, em busca da ilha flutuante de Laputa, mas, claramente, o governo e os piratas não deixaram os dois em paz, até conseguirem a pedra da levitação que é justamente o que permite as pessoas de acessarem o castelo.

Os destaques do filme estão, entre outras coisas, na ambientação do Castelo e da ilha flutuante em si, cheia de paisagens para se explorar e passagens secretas (coisa de castelo mesmo).

  1.   Meu Amigo Totoro (“Tonari no Totoro”, em jp)

Lançado em 1988, Meu amigo Totoro nos traz duas irmãs, Mei e Satsuki, que se mudam para uma vila rural para ficar mais perto da mãe, que está hospitalizada.

Watashi no Sekai By krol Hime: Tonari no Totoro ( Meu vizinho Totoro)

Ambas começam a explorar a vila e acabam descobrindo os seres mágicos que circulam por lá. Em uma dessas, Mei que é a irmã mais velha acaba se embrenhando na floresta e encontra um Totoro, um espírito protetor da floresta.

Os dias seguem, com alguns outros encontros com Totoro, uma reviravolta na história ocorre, mas Totoro segue como um apoio para as crianças. Se ele realmente existe ou se é só fruto da imaginação de duas menininhas, fica para sua interpretação.

Uma curiosidade sobre a obra é que parte da história é inspirada na infância do próprio Miyazaki, cuja mãe foi hospitalizada quando criança, além do fato de que a história se passa na mesma cidade em que ele viveu.

  1.   O Serviço de Entregas da Kiki (“Majo no Takkyubin”, em jp)

De 1989, O serviço de entregas da Kiki conta a história de uma bruxinha de 13 anos, Kiki, que se muda sozinha para uma cidade estranha, de forma a aperfeiçoar suas bruxarias.

Kiki's Delivery Service Movie Review | Movie Reviews Simbasible

No começo ela fica meio insegura, mas depois vai pegando amizade com algumas pessoas que trabalham numa padaria, até que tem a ideia de montar um serviço de entregas, por saber voar.

Realizando os pedidos de entregas, Kiki vai fazendo amizade com mais pessoas e conhece Tombo (nasce o ship). Em certo ponto do filme, Kiki perde seus poderes e conta com a ajuda de seus novos amigos para recuperá-los.

O filme, assim como outras obras do diretor não tem um vilão, focando mais nas oscilações dos sentimentos de Kiki ao longo da história. O filme foi o primeiro grande sucesso de bilheteria do estúdio.

  1.   Porco Rosso: O Último Herói Romântico (“Kurenai no Buta”, em jp)

Porco Rosso é um filme de 1992, com uma história ambientalizada na Itália, no período entre às duas grandes guerras mundiais e a ascensão do fascismo. Dentro desse contexto, um ex-piloto da força aérea italiana é transformado em um porco (literalmente) e passa a se tornar um caçador de recompensas.

Porco Rosso 1 by Hayao Miyazaki

Porco Rosso, como é chamado, começa suas aventuras, a bordo de seu hidroavião, perseguindo os piratas do ar, resgatando reféns, entre outras coisas. Dessa forma, a maior parte do filme se passa no ar.

Ao mesmo tempo, em que é um filme considerado leve, a típica jornada do herói. A história é uma crítica aos absurdos das guerras, as pessoas que ficam em casa, esperando seus parentes e conhecidos voltarem da guerra, por exemplo.

Para fechar essa primeira parte, devo dizer que escolhi somente filmes que foram dirigidos por Miyazaki, de forma que existem vários outros não listados aqui do qual ele participou da produção e/ou escreveu o roteiro, mas eu foquei mais na direção mesmo. Não se esqueçam de checar a parte 2 depois!

Por: Letícia Vargas

Referências sobre Hayao Miyazaki (é sempre importante dar os créditos para quem merece):

Studio Ghibli Brasil. “Hayao Miyazaki”

Adoro Cinema. “Hayao Miyazaki”

LEIA TAMBÉM: Filmes de Makoto Shinkai para emocionar – Parte 1

Siga @Nerdrecomenda nas redes Sociais

Facebook | Twitter | Instagram

2 Comentários

Deixe seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: