kono Oto Tomare

Kono Oto Tomare! – Padrão com música tradicional japonesa

O típico anime musical, mas com uma proposta inovadora

Música, drama, comédia, e mais música ajudam a compor esse anime. “Kono Oto Tomare!” nos traz uma fórmula já conhecida (clube escolar treinando para ganhar competições), mas com um instrumento que não é muito abordado em animes e você provavelmente não sabia que existia: o Koto.

Vou poupar sua busca no Google. O Koto, de forma mais fácil de entender, é um instrumento musical que parece uma tábua de madeira (e não é qualquer madeira) de mais ou menos 1,80 m de altura. Ele possui 13 cordas (de seda ou nylon), usadas para dedilhar, emitindo sons considerados suaves e gentis. Podem variar de tamanho e número de cordas, também. Além disso, o instrumento possui trastes móveis (localizados embaixo das cordas), que permitem a mudança de afinação durante a execução das músicas. Como ouvir é a melhor coisa, deixo um exemplo:

E onde o anime entra nisso tudo?

kono Oto Tomare

A trama foca no clube de Koto da escola de ensino médio Tokise. Depois dos membros se formarem no ensino médio, o clube fica apenas com um membro, Takezo Kurata, do 2.º médio. Depois de tentativas de recrutar novos alunos para o clube, um jovem do 1.º médio que tem fama de delinquente, Chika Kudo, resolve se inscrever, por motivos pessoais. No começo o Takezo fica meio receoso, por causa dos boatos que ouviu sobre o cara, mas, quando ele descobre a verdade, ambos acabam se tornando amigos.

Ao longo dos episódios, outras pessoas acabam se inscrevendo no clube, por motivos variados, como a Satowa Hozuki, conhecida como um prodígio nesse meio e que passou a ajudar e ensinar os demais membros. Até o próprio professor encarregado do clube, que antes era completamente desligado dele por falta de interesse, começa a participar mais das atividades, vendo a seriedade dos demais integrantes. Todos visando um objetivo em comum: tocar na competição nacional de Koto do ensino médio.

kono Oto Tomare

Kono Oto Tomare!, como eu disse, repete e mesma fórmula de outros animes do gênero, então o único elemento mais “original” nele é o Koto. Não que isso seja ruim. Se você gosta desse tipo de anime, vai aproveitar muito bem tudo que ele tem a oferecer. Os personagens e suas histórias também seguem um padrão, mas são carismáticos e não deixam a história cair na chatice. Eles sabem equilibrar bem entre comédia, drama e até aquela pitada de romance. Você vai gostar de todos e torcer por eles!

É divertido acompanhar o clube se desenvolvendo, a galera aprendendo a tocar o instrumento, mesmo com dificuldades e, às vezes até preconceitos (é mais comum mulheres tocarem koto, do que homens). Também rola aquela falta de autoconfiança, às vezes, já que os demais integrantes do clube são novatos e a Hozuki já participou até de competições. Já a música… o som do Koto é muito interessante, quando são um grupo de pessoas tocando juntas então…

kono Oto Tomare

Kono Oto Tomare! Teve 26 episódios, que foram divididos em duas temporadas (só quem viveu sabe o que foi ter que esperar a continuação depois de como terminou a primeira…). Produzido pelos estúdios Platinum Vision, a história é baseada no mangá da autora Amyu, que ainda está lançando, então recomendo ver o anime e continuar a história por lá, afinal não sabemos se teremos uma terceira temporada (viver de animes é isso, jovens). 

Devo dizer que o mangá em si vale muito a pena, também. Temos a continuação da jornada deles e a introdução de novos integrantes ao clube de Koto (dois personagens bem construídos, por sinal), além de novos perrengues.

O anime flui tão bem que, quando você vê, já terminou. Então vai lá curtir uns sons diferenciados e me diz se não deu vontade de saber tocar o koto também.

Por: Letícia Vargas

LEIA TAMBÉM: 3 melhores séries italianas para maratonar na Netflix

Siga @Nerdrecomenda nas redes Sociais

Facebook | Twitter | Instagram

Deixe seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: