miragem

Miragem (Somaya Daud) | Resenha

Eu aprendi a me parecer tanto com ela, a usar as expressões dela no lugar das minhas, que era como se eu usasse uma segunda pele e, às vezes, eu esquecia que existia uma original.

Miragem – Somaya Daud
miragem
Capa nacional de Miragem, pela editora Literalize

Amani acabou de completar 18 anos, mas nessa data tão especial, seu único presente foi ter sido sequestrada pelo império Vathakês e levada até a presença da odiada princesa Maram. Apenas chegando lá, a garota descobre: Maram e Amani são IDÊNTICAS!

O que isso quer dizer? Amani é a pessoa perfeita para se tornar a dublê da princesa em aparições públicas, pois, aparentemente, não são apenas os rebeldes que estão interessados em acabar com a vida da futura rainha Vathekesa. Dentro da corte, outras pessoas também se sairiam muito melhor sem a garota no caminho.

Se ser dublê de uma princesa sem coração já não é tarefa fácil, mas a vida de Amani vai ficar ainda mais complicada quando a garota começa a se apaixonar por Idris, o noivo da princesa. Além de, é claro, se tornar a espiã da rebelião dentro da corte!

Perdi uma batalha para a qual eu nunca me preparei para lutar. Tiraram de mim todas as coisas que deveriam ser minhas, com as quais Dihya me abençoou, mas então… como eu poderia me proteger, me preservar, se não havia sobrado nada de mim? Se tudo que eu tinha era Maram?”

Miragem – Samaya Daud

Miragem é o livro de estreia da autora Somaiya Daud, e faz parte de uma duologia que conta ainda com o livro Court of Lions (Corte dos Leões), ainda sem previsão de lançamento no Brasil. O livro mistura elementos cultura do oeste asiático e uma atmosfera futurista, recontando um tipo de história que já vimos várias vezes por aí, mas que ainda agrada muita gente por aí: a plebeia que troca de lugar com a princesa, e aos poucos descobre seu verdadeiro valor (com a diferença que aqui a plebeia está sequestrada e correndo perigo de vida. Detalhes kkk).

miragem - Nerd Recomenda
Capa Internacional da continuação Miragem

Sendo este o primeiro livro da autora, é preciso dar todos os créditos pelos detalhes de criação de mundo, como a ambientação interessante, e os pequenos detalhes culturais que foram embutidos na história e que dão um toque extra de realidade, fazendo as circunstâncias políticas que levam o plot pra frente bastante concretas!

Entretanto, outros pontos como escrita e desenvolvimento de personagens ficam um pouco a desejar. Em diversos momentos senti a escrita da autora ainda pobre, com excesso de indicadores de tempo, que deixaram a história com um fluxo rápido demais. É como escrever: “hoje acordei e fiz X, depois desci a escada e comi X, então saí e vi o céu, e foi quando X coisa aconteceu“. Um escrita assim foca demais nas ações dos personagens e deixa pouco espaço para enriquecer o texto com percepções subjetivas, que é o que nos faz entender a personalidade dos protagonistas.

Talvez até por causa dessa rapidez, o aprofundamento das relações entre os personagens ficou fraquiiiiiiiiinho, principalmente no desenvolvimento do casal, que a cada novo encontro pulava de uma fase para outra, sem muito tempo de desenvolver laços afetivos críveis.

No geral, Miragem entrega uma história fácil de ler, e que diverte com um plot que agrada o público mais jovem. Entretanto, para leitores mais experientes, ou um público mais crítico, fica óbvio que esta se trata de uma obra ainda pouco madura.

Classificação: 3 estrelas

Texto por: Larissa Diniz (@cons.ciencialiteraria)


Leia Também: The Bold Type: Saiba mais sobre a nova queridinha da Netflix

Siga @Nerdrecomenda nas redes Sociais

Facebook | Twitter | Instagram

Um comentário

Deixe seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: