O silêncio da cidade branca

O Silêncio Da Cidade Branca: thriller psicológico da Netflix tem grandes referências e final óbvio

O Silêncio Da Cidade Branca, thriller psicológico da Netflix, é uma adaptação do best-seller de Eva García Sáenz, dirigido por Daniel Calparsoro.

O filme espanhol conta a história do serial killer que assombrou a cidade do interior no País Basco, há 20 anos. Diferente de outros criminosos, o Assassino do Sono seguia um padrão de forma meticulosa, escolhendo um casal de acordo com as idades. De início eram duas crianças de 5 anos, outras duas de 10 anos e dois adolescentes de 15 anos. Fazendo uma representação de Adão e Eva, deixava-os nus, deitados um ao lado do outro, com uma flor de girassol cobrindo as partes íntimas. 

O silêncio da cidade branca
Cena de “O Silência da Cidade Branca” | Foto: Divulgação

O responsável pelos crimes era Tasio, que ficou preso durante vários anos, porém, algumas semanas antes de ser libertado, novos crimes acontecem da mesma forma que no passado. E se antes de ser preso as últimas vítimas tinham 15 anos, as novas tem 20, dando sequência ao padrão. No intuito de solucionar o novo mistério, o investigador Unai e sua supervisora Alba resolvem visitar Tasio, para entender a forma que ele conduzia os crimes.

Unai é um detetive que está voltando ao trabalho após perder o grande amor de sua vida em um acidente de carro. O longa traz momentos de romance e traição, e em dado momento os protagonistas se relacionam amorosamente. Em uma reviravolta, os investigadores percebem que o serial killer estava mais próximo do que eles imaginavam. 

Ao assistir o filme, algumas cenas me lembraram outras produções como Jogos Mortais e Mindhunter, pelo modo de abordar as vítimas e o interessa de saber porque o assassino agia daquela forma.

Assista ao trailer:

O silêncio da cidade branca traz para quem assiste diversos detalhes dos crimes e explica por que foram realizados daquela forma, trazendo todas as referências religiosas. No entanto, com tanta explicação e expectativas criadas, o final do filme da Netflix  ficou óbvio e sem graça. Talvez na tentativa de ser fiel ao livro, eles tenham pecado inserindo muitos detalhes e deixando a desejar no final.

Leia Também: Pensando na diversão e distração de seus fãs, Gustavo Mazzei lança 5 covers para acompanharem

Siga @Nerdrecomenda nas redes Sociais

Facebook | Twitter | Instagram

Deixe seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: