Stephenie Meyer

Sol da Meia-Noite – Uma História, A mesma Opinião | Stephenie Meyer

“Quando nos conhecemos, muitos de vocês eram adolescentes com olhares encantadores e radiantes, cheios de sonhos para o futuro.” Stephenie Meyer

Stephenie Meyer

Por Caroline Dias

Depois de anos, em certo dia, Stephenie Meyer anunciou o livro “Sol da Meia-Noite” e sempre fui muito curiosa para conhecer a visão de Edward Culen sobre os acontecimentos que ocorrem na saga Crepúsculo. Confesso que, ao contrário de muitos amigos em minha adolescência, nunca fui “Team Edward”. Acreditem ou não, minha torcida era claramente ao Jacob.

Stephenie Meyer

Se está se questionando que, após ler “Sol da Meia-Noite”, minha opinião mudou, já te aviso, não se iluda! Ainda sou “Team Jacob” – inclusive aguardo a versão dos livros na visão dele (Viu Stephenie Meyer?), mesmo sabendo que não vai acontecer essa troca amorosa. O que posso dizer é que, ao ler este novo livro, consegui entender o sofrimento e todo o caos, considerado esquisito e desnecessário, que o Edward fazia, pois para ele tinha sentido diante dos relatos que o personagem nos apresenta. 

Stephenie Meyer

Apesar da história de “Sol da Meia-Noite” ser longa e arrastada, Stephenie conseguiu fazer com que enxergássemos toda a angústia que Edward sentia, o medo de tocar Bella Swan ou se aproximar de uma garota que certamente era ímã de tantos problemas e acidentes. 

A história é a mesma, com mesmos acontecimentos, mesmos lugares e todos os aspectos que já conhecemos, porém, desta vez, temos uma narrativa mais protetora e invasiva na mente do personagem. 

Um dos fatos que sempre me chamou a atenção na história de Crepúsculo1º livro da saga Crepúsculo, se baseava onde Edward ia, ao desaparecer por uma semana. Neste livro ele conta que foi na casa de seus “familiares”, na das irmãs de Denali – as irmãs gêmeas loiras e bem brancas que aparecem futuramente no livro/filme Amanhecer. Curiosamente, ao descobrir que Tanya tinha uma queda por Edward, me fez perceber que quando assisti e li a história pela primeira vez, sempre tive consciência de ter algo entre os dois e que não era bem resolvida. 

Cannons

Nesta versão de Edward, a minha antipatia à personagem Rosalie se intensificou, já que podemos conhecer melhor a personagem e ver o quanto ela é chata de fato. Isso se dá devido que o que vemos, na verdade, é que para ela, o fato dela não gostar de Bella não é apenas por ela ser humana, mas sim, por Edward achar Bella bonita e ela não. Considera-se até um ciúme evidente pelas atitudes de Rosalie

“Era como montar um quebra-cabeça com centenas de milhares de peças e sem a imagem completa para servir de guia. Demorado, com muitas pistas falsas, mas no final eu conseguiria ver o quadro todo.” Edward Cullen, Sol da Meia-noite – Autora Stephenie Meyer.

Por Rebecca Vettore

Concordo com a Carol no quesito lentidão do texto. Não sei se todos os livros eram assim, mas ler quase 800 páginas não foi uma tarefa fácil, mesmo sendo fã da saga. Apesar de Edward ser extremamente possessivo, de sempre querer que a Bella terminasse com ele, no livro dá pra ver bem que ela também vive uma dependência sem fim do vampiro, levando a serem feitos um para o outro.

Stephenie Meyer

Algo que me chamou bastante atenção e fez dar pontos positivos para a obra foi o fato de Edward contar a origem da criação dos irmãos em vampiros. Com essas histórias você entende melhor o comportamento de cada um, de como se uniram e formaram a família Cullen. Entre os relatos novos dessa história, você também vai perceber que não são somente Edward e a Alice que possuem poderes. Todos trazem traços importantes de suas personalidades humanas para a vida de vampiro.

Outros elementos importantes que nos levam a conhecer mais da história é a perseguição ao vilão. James, como muitos conhecem, é um vampiro caçador que, ao conhecer Bella, não vê outra coisa senão como fazer dela a sua próxima vítima. Em Crepúsculo, parece que ele chega bem rápido na escola de balé, onde Bella o espera, mas demora um pouco mais que isso.

Carlisle, Emmett e Edward tentam encurrala-lo por muitos dias, mas James sempre está um passo à frente, tanto que quando os mocinhos estão imaginando que ele vai fugir pela água, o vilão pega um helicóptero e vai em direção à Bella.

Depois disso, a família vai de avião até Phoenix. Chegando em terra, os Cullen roubam carros, são perseguidos pela polícia, causam uma batida impressionante e ultrapassam todos os limites de velocidade da estrada, para chegar antes de James

Contar um pouco mais de seu passado foi outra adição importante que me fez gostar do novo livro. Edward reconta como se tornou um vampiro, mas também fala um pouco sobre seus pais biológicos, seus primeiros anos de convivência com o Carlisle e a motivação para ir contra os princípios alimentares de seu novo pai. Para quem não sabe, o patriarca da família instituiu a regra de matar mais humanos para se alimentar.       

Você pode ver um pouco mais do que achei de Sol da Meia-Noite neste vídeo.

Podemos concluir – Carol e Rebecca – que, Stephenie Meyer foi perspicaz com Sol da Meia-noite, nos mostrando uma visão diferente da história, mesmo que soubéssemos o que iria acontecer. Mostrar a versão dos sentimentos e fatos de Edward nos deixa mais afetuosas com o comportamento de Edward Cullen. Apesar da narrativa da história ser lenta, recomendamos a leitura do novo livro a todos aqueles que gostem ou não do vampiro que brilha à luz do sol.

*Texto por Caroline Dias

Leia Também: Crepúsculo: Uma boa hora para rever nossas atitudes

Siga @Nerdrecomenda nas redes Sociais

Facebook | Twitter | Instagram

Um comentário

Deixe seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: