Terror - Nerd Recomenda

Casamento Sangrento e o terror com brincadeira

Um jogo de criança colocado como um terror em que o preço para quem perde é a vida

 

Produção de 2019, Casamento Sangrento nos apresenta uma premissa curiosa para um filme de terror, envolvendo uma brincadeira de esconde- esconde, mas decepciona um pouco com seu final seguindo outra linha de lógica.

O filme mostra a história de Grace (Samara Weaving) no dia de seu casamento com Alex Le Domas (Mark O´Brien), um dos membros da família Le Domas, que além de estranha, são famosos e ricos por serem donos de um império de jogos de tabuleiros. Na noite após o casamento, Grace, para entrar oficialmente na família, deve escolher um jogo para que todos participem. O que ela não sabe é que uma das cartas esconde uma brincadeira sanguinária.

Retirando uma carta de uma caixa misteriosa que seleciona o jogo aleatoriamente, a jovem noiva acaba escolhendo esconde- esconde. Para a surpresa de muitos e receio do marido, logo ela é introduzida à brincadeira. Durante toda a noite, Grace tem de se esconder sem sair da casa, sem câmeras de segurança, enquanto toda a família a procura com armas com o intuito de matá-la.

Terror - Nerd Recomenda
O terror do filme se dá por um caçada pela noiva dentro da casa. Créditos: Searchlight Pictures/Divulgação

A princípio, vamos crendo que as motivações para a caça à noiva vem apenas da vontade e desejo da família de se divertir e seguir a tradição familiar, mas depois descobrimos que essa motivação vem mais de uma obrigação e pacto selado do que qualquer outro desejo.

Não espere por um terror pesado, mas sim uma história que dá para assistir como um passatempo de fim de noite com os amigos, com exceção de algumas cenas violentas e carregadas de sangue, mas em certo ponto engraçadas. 

O humor do filme fica por conta de alguns membros da família meio atrapalhados ou até tensos demais, deixando a narrativa mais leve, porém, a tensão se mantém pelas decisões de Grace de o que fazer e onde se esconder, o que leva a nos ver no lugar da protagonista em locais para se esconder.

Com essa premissa, o filme me pareceu uma boa história, colocar medo e tensão em uma brincadeira infantil em que adultos jogando e armados causam uma certa aflição. Esse é um dos elementos que me chamam a atenção para um certo tipo de terror, histórias em que enquanto a vítima está assustada e tensa, os assassinos se divertem com o que para eles é mais uma aventura e diversão em um jogo que vale a própria vida.

O que me fez ter certa decepção com a produção, me levando a não achar ele excelente, foi a mistura no final com a questão de misticismo e forças sobrenaturais, algo que foi induzido em minúsculos pontos durante a história, mas que pareceu ser usado apenas para justificar os atos ocorridos e fechar a história.

Tirando isso, Casamento Sangrento me proporcionou um bom momento de diversão e em certo ponto, de suspense, fazendo ter receio de mais uma coisa infantil, uma simples brincadeira valendo a vida.

O filme conta com a direção de Matt Bettinelli-Olpin e Tyler Gillett e está disponível no catálogo do Telecine Play.

Leia Também: Zoe Wees- Conheça a cantora que transformou seu medo no single “Control”

Siga @Nerdrecomenda nas redes Sociais

Facebook | Twitter | Instagram

 

 

2 Comentários

Deixe seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: